Prefeitura realiza a retirada de seis palmeiras da Alameda Brüstlein nos dias 14 e 15 de maio

Publicada em 11/05/2022 às 11:23
Relacionado a: Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente - SAMA, Unidade de Parques, Praças e Rearborização Pública - SAMA.UPP, Unidade de Desenvolvimento Rural - SAMA.UDR

Nos dias 14 e 15 de maio, a Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama), realizará a retirada de seis exemplares da palmeira imperial Roystonea oleracea da Rua das Palmeiras. Cinco dessas plantas estão mortas e outra está com o caule comprometido.

Amostras das palmeiras retiradas da Alameda Brüstlein serão analisadas por técnicos da Sama. “Não se sabe ao certo a causa das mortes. Com a retirada das palmeiras mortas e uma investigação posterior, poderemos concluir o que ocorreu”, explica o diretor de Desenvolvimento Rural (UDR) da Sama, Luiz Carlos Maia.

Por causa do tamanho, será necessário um prazo de seis meses para a remoção total das raízes dessas palmeiras. Depois, serão plantados novos exemplares com sete anos de idade, que foram produzidos no viveiro de mudas da UDR.

“Será criado um plano de manutenção das palmeiras que compreende um rígido controle fitossanitário, adubações periódicas e controle da broca das palmeiras”, detalha o diretor da UDR.

Durante a ação de retirada das palmeiras, em alguns momentos o trânsito na rua do Príncipe, na altura da rua das Palmeiras, será interrompido para a entrada e saída do caminhão na Alameda Brüstlein. Não será permitida a circulação de pedestres e veículos na Alameda Brüstlein durante os dias 14 e 15 de maio.

As palmeiras imperiais da Alameda Brüstlein são árvores centenárias cujas sementes vieram do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em 1867. Elas podem viver mais de 200 anos e chegar a 40 metros de altura.

“Esta não é a primeira vez que este trabalho precisa ser realizado na Rua das Palmeiras. Quando ocorre a morte de uma das árvores, é necessário fazer a remoção e na sequência, avaliada a possibilidade de substituição”, explica o gerente da Unidade de Praças, Parques e Rearborização Pública da Prefeitura de Joinville, Deivid Corrêa.

Em caso de condições climáticas adversas que impeçam a realização do trabalho como chuva e vento, a atividade será reagendada.

Compartilhe