Violência sexual contra crianças e adolescentes é debatida em Joinville Ver imagem em alta resolução

Notícia
Violência sexual contra crianças e adolescentes é debatida em Joinville

Evento foi realizado pela Secretaria de Assistência Social

Publicada em 19/05/2017 às 15:12, por Diego Piffer Rosa.
Relacionado a: Secretaria de Assistência Social - SAS

Um encontro para debater a violência sexual contra a criança e o adolescente reúne cerca de 400 participantes, nesta sexta-feira (19/05/2017), no 1º Seminário “Atendimento a crianças e adolescentes em situação de violência sexual em Joinville”.

O evento, realizado pela Secretaria de Assistência Social (SAS), por meio dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social, irá prosseguir durante todo o dia, na Mitra Diocesana.

“O foco de hoje é a articulação da rede e dos serviços públicos para atender da melhor forma a criança e o adolescente que está em situação de violência sexual, e também trabalhar a prevenção”, explicou a coordenadora do CREAS Sul, Luciana Cabral.

Na abertura, o coordenador do Conselho Tutelar Sul, Cristóvão Petry, destacou que o seminário é fundamental para ressaltar o quanto o papel de todos é importante. “É essencial que tenhamos claro a confiança que nos depositam e o nosso papel relevante para que este desafio seja vencido”, avaliou Petry.

O presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Deyvid Inácio Espíndola Luz, acrescentou que é uma oportunidade de mobilização, reflexão e sensibilização, e que esta necessidade foi compreendida, pois as inscrições foram esgotadas antes do prazo previsto.

A solenidade de abertura também foi acompanhada pelo vice-prefeito Nelson Coelho, o secretário de Educação, Roque Mattei, a gerente de Serviços Especiais da Secretaria da Saúde, Cinthia Friedrich, a coordenadora do Conselho Tutelar Norte, Ana Karolina Kuhnen, e o diretor-executivo da SAS, Fábio Luiz de Oliveira.

“Este evento trata este tema difícil, mas que precisa ser trabalhado de forma intersetorial, salientando a forma como cada um atua para amenizar e prevenir a situação e evitar a revitimização. Por isso, me orgulho de ser servidor público pela atribuição muito diferenciada que temos na sociedade,” declarou Fábio.

Participam profissionais das Secretarias de Assistência Social, da Educação, de Saúde, de Segurança Pública e também do Conselho Tutelar, Polícia Civil, Polícia Militar, Ministério Público, Poder Judiciário e demais profissionais ou estudantes interessados.

O Seminário inclui palestras, painéis e debates, incluindo uma apresentação especial da Companhia Casa Teatral, encenando a peça “Escuta que não é brincadeira!”, espetáculo sobre a violência sexual infantil. Também vai fornecer informações e mobilizar a rede intersetorial do município no atendimento das vítimas em situação de violência sexual. Os profissionais conhecerão os fluxos e procedimentos referentes a este público e poderão discutir o tema.

Atendimento intersetorial

A orientação para os casos agudos, quando o abuso ocorre em menos de 72 horas, é procurar o Hospital Infantil ou o Hospital Regional, que acionam a delegacia e realizam os demais encaminhamentos.

Para os casos crônicos, há várias portas de entradas, sendo a principal delas a Delegacia de Polícia Civil. Também pode ocorrer a denúncia por meio dos Conselhos Tutelares e toda a rede de atendimento, como os CREAs e a rede de saúde, para a prestação do apoio de saúde e psicossocial.

Dia Nacional de mobilização

A data do seminário foi escolhida pela proximidade com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, instituído como 18 de maio pela Lei Federal n° 9970/2000. A proposta é dedicar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos das crianças e adolescentes.

Ir para o topo