Turismo comunitário de Joinville cresce em 2017 e atrai novos parceiros

Publicada em 01/12/2017 às 14:25
Relacionado a: Secretaria de Cultura e Turismo - SECULT

Turismo rural 1 Ver imagem em alta resolução

O Viva Ciranda, programa de turismo comunitário de Joinville, encerra 2017 comemorando bons resultados.

Durante o período letivo, as treze propriedades participantes do programa receberam, juntas, mais de 4,5 mil crianças, apenas de Centros de Educação Infantil (CEIs) e escolas municipais de Joinville. Os dois ônibus da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), utilizados exclusivamente para atender à rede municipal de ensino nas visitas pedagógicas do Viva Ciranda, fizeram mais de 170 viagens.

Os números são ainda mais expressivos quando contabilizadas as visitas realizadas com transporte particular. “Estimamos que o público escolar que visitou as propriedades ao longo de 2017, vindo de Joinville e de outros municípios da região, tenha chegado a aproximadamente oito mil pessoas”, afirma a coordenadora do Viva Ciranda, Anelise Rosa.

Criado em 2011 pela Prefeitura de Joinville, por meio da então Fundação Turística, atualmente Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), o Viva Ciranda tem o objetivo de fomentar a atividade turística na área rural da cidade, proporcionando ao agricultor uma nova fonte de renda.

No âmbito pedagógico, a proposta é que o tema escolhido pela escola seja, primeiramente, trabalhado com os alunos em sala de aula. Em seguida, as crianças visitam a propriedade e vivenciam, na prática, o conteúdo que aprenderam.

As propriedades que integram o Viva Ciranda estão localizadas nas cinco regiões da área rural de Joinville: Piraí, Quiriri, Estrada da Ilha, Estrada Bonita e Estrada Dona Francisca. Em cada local, é possível conhecer uma atividade diferente: apicultura, agricultura familiar, agricultura orgânica, produção de melado, produção de produtos coloniais, nascentes de rios, criação de pequenos animais, panificação, entre outras.

Para participar do programa, a propriedade rural interessada deve entrar em contato com a Secult, que fará a avaliação do local e dará as principais orientações ao produtor.

“Preparamos o agricultor para abrir sua propriedade ao público e receber os visitantes. Oferecemos qualificação e estimulamos a visitação das escolas. A cada ano, o Viva Ciranda recebe mais público e traz excelentes resultados para todos os agentes envolvidos no trabalho”, comemora Anelise.

Parceria

Desde 2012, a família Taranto, proprietária do Sítio Vó Bia, em Pirabeiraba, participa do Viva Ciranda. O interesse em abrir a propriedade ao público surgiu da vontade de explorar melhor o potencial do local, que permanecia fechado muito tempo.

“Com orientação da equipe da Secult, fizemos melhorias como ampliação do quiosque e dos banheiros, melhoramos a cozinha e criamos atrativos como um roteiro para a visita e trilhas para crianças e adultos. Hoje, o Viva Ciranda é a segunda renda da nossa família”, conta o turismólogo Marcelo Taranto.

Segundo ele, este ano o número de visitas superou as expectativas, principalmente com a presença de escolas particulares. “Atribuímos o bom resultado ao nosso atendimento e atrativos. Aqui, as crianças saem do mundo virtual, se soltam e curtem a natureza, conhecem plantas e árvores frutíferas, brincam na casa na árvore, jogam bola e tomam banho de riacho”.

Agendamentos

As visitas às propriedades do Viva Ciranda devem ser agendadas diretamente com as propriedades. Já o ônibus do programa, que atende às instituições de ensino da rede municipal de Joinville, deve ser marcado junto à Secult, pelo telefone (47) 3433-2190. Para 2018, a programação do ônibus estará disponível a partir da segunda quinzena de fevereiro, após o início das aulas.

A taxa de visitação nas propriedades é de R$ 10 por pessoa. Os custos com transporte são de responsabilidade das escolas.

Compartilhe