Programa de turismo rural envolve educação e estímulo à agricultura

Publicada em 06/12/2017 às 18:09
Relacionado a: Secretaria de Cultura e Turismo - SECULT

viva ciranda_996_06122017 Ver imagem em alta resolução

De um lado, crianças e adultos se divertem em meio à natureza, aprendem a cuidar do meio ambiente e conhecem mais sobre a vida do homem do campo. Na outra ponta, agricultores se transformam em empreendedores e encontram no turismo rural uma nova fonte de renda e desenvolvimento.

Esses são os principais resultados gerados pelo “Viva Ciranda”, programa de turismo rural de Joinville que em 2017 recebeu mais de oito mil crianças de escolas públicas e particulares, inclusive de outros municípios da região.

Entre as 13 propriedades que participam do “Viva Ciranda”, o Sítio Vó Bia é exemplo do sucesso alcançado pelo programa. “Tivemos um ano espetacular que superou nossas expectativas”, conta a proprietária do local, Miriam Taranto.

Para ela, a qualidade do trabalho realizado na propriedade, com um roteiro de visitação bem elaborado, atividades diferenciadas e o contato com a riqueza da Mata Atlântica são fatores que contribuem efetivamente para os bons resultados.

Somado a isso, o “Viva Ciranda” também tem seu importante papel. “O programa foi fundamental para o nosso crescimento neste ano, pois diversificou o nosso público e estimulou o grande crescimento das visitas escolares. Hoje, a nossa agenda é lotada de segunda a segunda”, comemora Miriam.

Se para o produtor rural o “Viva Ciranda” é uma nova fonte de renda, para o público, em especial para as crianças, as visitas pedagógicas representam uma experiência diferente. O Centro de Educação Infantil (CEI) Aventura de Criança tem como meta levar todas as suas turmas para passeios na área rural, pelo menos uma vez ao ano.

“Até as nossas turminhas de berçário participam. Além de ser um dia de lazer, aproveitamos a questão pedagógica, com educação ambiental e sustentabilidade, e fazemos a integração com a família, já que as mães acompanham os pequenos. É um dia muito especial para todos”, afirma a diretora do CEI, Deise Pabst.

A professora Giane Vieira já acompanhou suas turmas em diversas visitas ao “Viva Ciranda” e também pode desfrutar do passeio com seu filho Davi José, de dois anos e oito meses de idade.

Para ela, a experiência que o programa propicia às crianças é especial. “As crianças saem da sala de aula, têm contato com o rio, com os bichinhos, aves, na companhia dos colegas de sala. É uma experiência coletiva e totalmente diferente do que eles vivem no dia a dia, na área urbana. Realmente, é um momento sublime para eles”.

Crescimento para 2018

Criado em 2011 pela Prefeitura de Joinville, por meio da então Fundação Turística e atual Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), o “Viva Ciranda” conta atualmente com a participação de treze propriedades. Mas esse número deve aumentar no próximo ano.

De acordo com a coordenadora do programa, Anelise Rosa, duas novas propriedades já estão se preparando para entrar no grupo. Segundo ela, os produtores rurais estão atentos às oportunidades que o programa oferece.

“A renda obtida com o “Viva Ciranda” tem feito grande diferença às famílias. E é algo que resulta em um ciclo: quanto mais visitas o produtor recebe, mais tem lucratividade, mais desperta a sua visão empreendedora, mais ele investe na propriedade, mais melhorias são feitas e mais público é atraído. E assim, sucessivamente”, explica Anelise.

Agendamentos

As visitas devem ser agendadas diretamente com as propriedades. Já o ônibus do programa, que atende às instituições de ensino da rede municipal de Joinville, deve ser marcado junto à Secult, pelo telefone (47) 3433-2190. Para 2018, a programação do ônibus estará disponível a partir da segunda quinzena de fevereiro, após o início das aulas.

A taxa de visitação nas propriedades é de R$ 10 por pessoa. Os custos com transporte são de responsabilidade das escolas.

Compartilhe