Museu de Sambaqui de Joinville Ver imagem em alta resolução

Notícia
Joinville sedia Encontro de Museus de Arqueologia

Evento será realizado nos dias 15 e 16 de fevereiro, no Teatro Juarez Machado

Publicada em 08/02/2017 às 09:43, por Diego Piffer Rosa.
Relacionado a: Secretaria de Cultura e Turismo - SECULT

Nos dias 15 e 16 de fevereiro, acontecerá em Joinville o RedeArq – Encontro de Museus de Arqueologia, evento de cunho científico que propõe ampliar o diálogo e reflexão sobre a gestão, a pesquisa e a difusão do patrimônio arqueológico nas instituições museológicas.

O evento será realizado no Teatro Juarez Machado – no Centreventos Cau Hansen – e vai reunir especialistas, técnicos, professores, estudantes e representantes de museus vindos de diversas cidades, especialmente da região Sul.

Durante os dois dias de programação, haverá debates, mesas-redondas, trocas de experiências e sessões de comunicação onde serão abordados temas como Gestão e Rotinas de Museus de Arqueologia; O papel do arqueólogo no museu de arqueologia; Comunicação museológica e educação patrimonial; Salvaguarda de acervos arqueológicos; entre outros.

Entre os renomados profissionais que estarão à frente das discussões, destaque para a museóloga e diretora do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (USP), Maria Cristina Bruno, convidada para ministrar a conferência de abertura do evento.

As inscrições para o RedeArq devem ser feitas pelo site do evento, www.redearq.com.br, e custam R$ 40 e R$ 20 (professores e estudantes). Vale destacar que toda a renda obtida com as inscrições será destinada à Associação dos Amigos do Museu de Sambaqui de Joinville e utilizada para a realização de eventos técnicos alusivos ao aniversário de 45 anos do Museu de Arqueologia de Sambaqui de Joinville (MASJ), comemorados neste ano.

O projeto RedeArq é de autoria da pesquisadora e especialista em arqueologia, Roberta Miranda da Veiga, com apoio do Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville e da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), e foi contemplado no Edital Proeventos da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC 1375/2016).

De acordo com os organizadores do RedeArq, o evento propõe reflexões e articulações acerca de temas como gestão dos museus e suas interações com suas comunidades, seus pesquisadores, seus públicos presenciais e virtuais e os reflexos destas ações na formação cultural da sociedade sobre as relações entre o presente e o passado.

Atualmente, há mais de 100 museus de arqueologia no Brasil, sendo 18 na região Sul, além de instituições de guarda de acervo arqueológico.

Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville

Os fartos recursos de pesca oferecidos pela Baía da Babitonga e a biodiversidade dos manguezais fez a região de Joinville o habitat perfeito para o povo sambaquiano, que viveu por aqui entre dois mil e seis mil anos atrás.

A riqueza deixada pelos sambaquianos tornou Joinville referência mundial em sítios arqueológicos. Todos os anos, professores e especialistas vêm à cidade para estudar e descobrir mais sobre essa sociedade que tinha como principal prática construir enormes morros de conchas para sepultar seus mortos.

O Museu Arqueológico de Sambaqui possui em seu acervo cerca de 45 mil artefatos. No museu, o visitante aprende sobre a intrigante história do povo sambaquiano e conhece peças como ossos de crânios, da bacia e mandíbulas de indivíduos sambaquianos, pontas de flechas esculpidas em quartzo, zoólitos (animais esculpidos em pedras), utensílios e ferramentas confeccionadas e utilizadas nos sambaquis, fibras vegetais trançadas há cerca de 2,3 mil anos e, até mesmo, um busto que reproduz o homem sambaquiano.

Ir para o topo