Escola municipal abre cápsula do tempo de alunos guardada há nove anos

Publicada em 14/12/2017 às 18:00
Relacionado a: Escola Municipal Professora Virgínia Soares - SED.UEB.EMVS, Secretaria de Educação - SED

Ver imagem em alta resolução

O conteúdo guardado há nove anos vai ajudar a contar a história de cerca de 40 alunos da Escola Municipal Professora Virgínia Soares, em Joinville. O projeto, iniciado em 2008, foi chamado de “cápsula do tempo” e contém material produzido por crianças que iniciaram os estudo no 1º ano do Ensino Fundamental. O encerramento aconteceu nesta quinta-feira (14/12/2017), durante a cerimônia de entrega de certificado de conclusão do 9º ano.

A cápsula estava enterrada em frente ao mastro das bandeiras, mas foi necessária uma semana para encontrar o local certo. A diretora Marcia Regina da Silva Vieira explicou que, depois de várias tentativas, recorreram as fotos da época para saber o lugar exato. O momento da abertura da caixa foi de expectativa. Ao abrir, verificaram que a umidade havia comprometido o material. O sentimento inicial foi de tristeza, mas logo constataram que bastava esperar o papel secar para voltar a folhear os cadernos.

A aluna Larah Giulia de Lima, 15 anos, contou o que pretende fazer com o caderno. “Quero guardar como recordação, para mostrar às próximas gerações.” O estudante Gabriel de Moura Santanna fez um esforço para lembrar do conteúdo. “Eu lembro que no final do 1º ano juntaram todos os nossos trabalhos e botaram dentro de uma caixa”, conta o adolescente.

Idealizadora do projeto, a supervisora escolar da época Dalva Dominoni, atualmente aposentada, estava presente no evento. Ela explicou que o objetivo do projeto foi registrar o início da alfabetização e comparar com o conhecimento atual. “Eles vão reconhecer a evolução que fizeram como pessoas, com toda aprendizagem”, explica.

Os alunos participantes do projeto vão passar para uma nova fase de vida. Com a conclusão do ensino fundamental, seguem para o ensino médio levando uma recordação de como iniciaram os estudos. A diretora Marcia conseguiu resumir com emoção os dois momentos. “Eles chegaram na escola com medo, segurando na mão dos pais. Agora saem quase adultos.”

Compartilhe